Cardiologia

É a especialidade médica que se ocupa do diagnóstico e tratamento das doenças que acometem o coração, bem como os outros componentes do sistema circulatório.

O médico especialista nessa área é o cardiologista.

Quando devo consultar um Cardiologista?

Deve-se consultar um cardiologista, basicamente, em duas situações: para orientação preventiva e para tratamento de alguma doença.

I-Cardiologia Preventiva

  • Sabendo que a maior causa de morte atualmente é por problemas cardiovasculares e ao que tudo indica, essa incidência tende a aumentar, todos os adultos, a partir de 18 anos de idade, mesmo que aparentemente saudáveis, deveriam consultar,  o cardiologista, para se orientarem, adequadamente, a respeito de seus próprios riscos cardíacos e das diversas possibilidades atuais oferecidas como tratamento preventivo. Apesar das altas taxas de mortalidade por problemas cardiovasculares, é importante deixar bem claro que a maioria das complicações podem ser evitadas quando o diagnóstico é precoce e o paciente investe na PREVENÇÃO.
  • Antes de iniciar qualquer tipo de atividade física.
  • Antes de submeter-se a algum procedimento cirúrgico.

II- Cardiologia Curativa

Se eu não tenho nenhum diagnóstico, como saber que meus sintomas são de doença cardíaca?

Os sintomas abaixo relacionados são os que aparecem mais freqüentemente nas doenças cardíacas:

  • dor, desconforto ou pressão em região torácica, inclusive no estômago e  dorso. Essa dor também pode irradiar-se para os braços e queixo. A dor precordial típica é opressiva, como se algo estivesse apertando fortemente o precórdio. Muitas vezes ela vem acompanhada de sudorese, palidez, sensação de morte,  falta de ar ou dificuldade para respirar;
  • falta de ar (dispnéia). É um desconforto respiratório, fazendo com que o paciente aumente a freqüência e a intensidade da respiração. A falta de ar pode ser decorrente tanto de doenças pulmonares quanto cardíacas;
  • palpitação. É a percepção desconfortável  dos batimentos cardíacos, também relatada como falha ou interrupção dos batimentos, que geralmente corresponde a estrassístoles;
  • síncope. É a perda da consciência. Quando esse sintoma está relacionado a causas cardíacas, geralmente apresenta início e retorno rápido do nível de consciência;
  • tosse. É um ato reflexo, decorrente de estímulos irritantes relacionados a determinadas regiões do sistema respiratório. A tosse de origem cardíaca ocorre principalmente aos esforços físicos e após mudança para decúbito dorsal por aumentar a congestão pulmonar;
  • hemoptise. É a hemorragia que provém direta ou indiretamente dos pulmões, laringe, traquéia ou brônquios;
  • fadiga, fraqueza. É o estado de mal estar crescente e eficiência diminuída que resulta de esforço prolongado ou excessivo. Quando tem origem cardíaca é decorrente do comprometimento da função de bomba do coração, que não consegue levar a quantidade de sangue necessária para todos os órgãos e membros;
  • Inchaço (ou edema). É o acúmulo de liquido nos tecidos. O edema de origem cardíaca é decorrente da infiltração de liquido no tecido subcutâneo, conseqüente à dificuldade do retorno venoso, ocasionado pela deficiência do coração em impulsionar o sangue de volta. 
Por favor, aguarde...

Assine a nossa Newsletter!

Quer ser notificado quando algum artigo for publicado? Digite seu endereço de e-mail e nome abaixo para ser o primeiro a saber.